Manifesto pede avanços para políticas de juventude no governo Dilma

20 de dezembro de 2010
Por

Um manifesto por “uma nova geração de políticas públicas de juventude” para o Brasil foi lançado na última semana. O documento conta com assinaturas de integrantes do Conselho Nacional (Conjuve), de conselhos estaduais e municipais de juventude, pesquisadores do tema, gestores públicos, juventudes partidárias e lideranças de movimentos de juventude de todo país. O manifesto deverá ser encaminhado à equipe de transição do governo Dilma.

O objetivo do documento é reivindicar a estruturação de um Sistema Nacional de Juventude com articulação entre os níveis federal, estadual e municipal. Também, almeja que a Secretaria Nacional de Juventude ganhe status de Ministério, assim como aconteceu com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR)  e a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM).

O manifesto ainda pretende pedir pela ampliação da democracia participativa por meio do fortalecimento do Conjuve, da Rede de Conselhos e da realização da 2ª Conferência Nacional de Juventude.

Foi apontada no documento a necessidade de uma política de juventude transversal, com caráter interministerial. Para isso, há indicações de linhas gerais e metas a serem alcançadas nas áreas de educação, trabalho, inclusão, acessibilidade, reestruturação do ensino médio, redução do número de mortes entre os jovens e valorização da diversidade, entre outras.

Reunião do Conjuve

Durante a 23ª reunião do Conjuve, realizada na última semana (14 e 15/12) em Brasília (DF), os conselheiros aprovaram a versão preliminar do  documento “Considerações sobre as políticas públicas de juventude desenvolvidas na atual gestão do governo federal”.

Elaborado pela Comissão de Acompanhamento de Políticas e Programas, o relatório também será entregue ao governo da presidente eleita, como contribuição para a agenda juvenil.

O novo presidente do Conjuve, Gabriel Medina de Toledo, representante do Fórum Nacional de Movimentos e Organizações Juvenis (Fonajuves), reconhece os avanços obtidos na gestão do presidente Lula, mas ressalta que muito ainda precisa ser feito para que as políticas de juventude se transformem em uma política de Estado.

“Quero representar o conjunto da juventude em toda a sua diversidade. Tenho convicção de que será preciso muita luta e unidade dos movimentos para garantir a estruturação das políticas sociais, universais e específicas para os jovens brasileiros”, disse Medina.

Para ver o texto do manifesto, clique aqui. Para assinar, acesse http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/7706%20%20*.

*Com informações do Conjuve.

Compartilhe e Socialize:
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Orkut

Deixe um comentário

Os comentários estão desativados.